Precisamos do turismo para sermos mais inovadores

0
464

«A maior dinâmica de investimento no país nas últimas duas décadas tem sido no turismo, por isso temos que corresponder este compromisso com resultados superiores no crescimento do setor, mas também na qualidade dos serviços, na eficiência com que operamos nesta atividade», disse o primeiro-secretário do Partido e presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, durante a reunião anual de trabalho da indústria cubana de lazer, na segunda-feira, 21 de março.

Neste cenário, que também contou com a presença do membro do Bureau Político do Partido Manuel Marrero Cruz, primeiro-ministro; Alejandro Gil Fernández, vice-primeiro ministro e ministro da Economia e Planejamento; Félix Duarte Ortega, membro do secretariado do Comitê Central do Partido e chefe de seu Departamento Produtivo de Bens e Serviços, bem como Juan Carlos García Granda, titular do Turismo, abriram a análise para questões-chave relacionadas às reservas que mostram os resultados de 2021 e as projeções para 2022.

Díaz-Canel refletiu sobre a necessidade de promover a defesa do desenvolvimento sustentável no setor, como demonstram os prêmios conquistados por Cuba por ter praias entre as melhores do mundo, hotéis com boas experiências de harmonia com o meio ambiente, elementos culturais que o país tem em nosso favor e que devem ser explorados.

Atingir mais objetivos como estes requer, em sua opinião, maior preparação, informatização diante da gestão digital de processos e do uso do comércio eletrônico, a busca de novas alternativas em gateways de pagamento ou o aproveitamento de novos desenvolvimentos como o uso de moedas criptográficas, entre outros aspectos.

«Em tudo isso», disse, «a cultura deve ser responder com ciência e inovação a cada problema que surge, e a pesquisa está nas universidades, nos centros de estudo, nos grupos de trabalho. O turismo, que é um de nossos pilares no setor produtivo, precisa ser mais inovador, e será quando desenvolver esta cultura».

Neste sentido, o chefe de Estado esteve interessado na atenção dada aos jovens, uma vez que eles entram no setor, porque eles têm o potencial para o desenvolvimento da ciência e da inovação e, portanto, a capacidade de criar, de assumir responsabilidades e de serem protagonistas. «Não podemos falar de unidade e continuidade se os jovens não estiverem presentes como sujeitos fundamentais», disse Díaz-Canel, ao mesmo tempo em que enfatizou a importância de proporcionar-lhes oportunidades de desenvolvimento profissional e treinamento, encorajando-os e mostrando-lhes que seu projeto individual é coerente com o setor e com o país.

Reiterou que temos que trabalhar com a máxima de que a qualidade em tudo o que fazemos deve superar limitações, que devemos ser tão criativos e contribuir tanto com a qualidade nos serviços, no tratamento dos visitantes, que isso deve superar deficiências, e para isso temos que generalizar as boas experiências.

O presidente insistiu na importância de os visitantes conhecerem Cuba, e confirmando que a realidade virtual que é manipulada sobre nosso país nas redes sociais não é verdadeira; o turismo de eventos pode ser grandemente promovido, dando prestígio, favorecendo o país e apresentando opções culturais para o povo.

Disse que é muito importante transformar o sistema empresarial, tirando proveito das medidas para fortalecer as empresas estatais.

Disse que as entidades turísticas têm uma nova função nas condições atuais, que é liderar a participação, a cadeia produtiva, a complementação e a atenção às formas não-estatais da economia, que se desenvolvem neste setor.

Afirmou que é necessário fortalecer a introdução do mercado latino-americano, bem como fazer progressos nos já existentes. «Sabemos que estamos no meio de todas estas dificuldades, em um contexto desafiador, mas não podemos desistir dos objetivos que nos propomos, devemos continuar defendendo este plano, como transformar a situação para recuperar o que não conseguimos e fazer mais», disse Díaz-Canel sobre o que foi alcançado nos primeiros meses do ano.

APERFEIÇOANDO OS MODOS DE FAZER AS COISAS

O primeiro-ministro Marrero Cruz destacou a importância de incorporar os estudantes ao setor através da experiência de trabalho nos primeiros anos, bem como a necessidade de reforçar a preparação dos diretivos e a busca de reservas, um tema que foi mencionado no debate como uma preocupação comum dos presentes.

Também voltou ao tema da inovação e considerou que este era o negócio inacabado do turismo cubano em termos de marketing.

«Levando em conta a situação global, caracterizada pela contração financeira, e numa luta constante para adquirir clientes para este mercado, é essencial buscar novos métodos; temos vantagens como a cultura e a natureza, que devem ser exploradas», disse o Chefe de Governo.

Perguntou se as principais ações comerciais estão concentradas em redes sociais e considerou que o que está sendo feito ainda é insuficiente.

«Não esperemos por nenhuma outra moeda além daquela que somos capazes de gerar e não esperemos um minuto para buscar soluções nacionais; temos que transformar o sistema empresarial, temos que melhorar os negócios existentes e buscar outras, e mais investimento», sugeriu.

É urgente que o turismo implemente as recomendações da alta administração do país, compatíveis com as prioridades de trabalho conhecidas durante o levantamento, pois até 2022 está prevista a chegada de 2.5 milhões de visitantes e está sendo preparada uma nova edição da Feira Internacional de Turismo, que, segundo o presidente da República, deverá ser uma feira alta, culta e inovadora, que demonstre o potencial do setor neste país.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here