MTur lista as principais rotas da iguaria nos destinos brasileiros

0
15

País é repleto de lugares que oferecem o café não apenas como grão e líquido, mas também compondo rotas turísticas

Tão presente no dia a dia dos brasileiros quanto o arroz e o feijão, o cafezinho – e suas diversas formas de preparo – nunca pode faltar na nossa mesa. Seja de manhã, no intervalo do trabalho ou na cafeteria, somos mesmo um povo apaixonado pela iguaria. Por esta razão, no Dia Nacional do Café, o Ministério selecionou rotas turísticas para quem é fã do grão.

A lista começa por Minas Gerais, maior produtor do país. Uma das opções, a Rota do Café Especial percorre 35 quilômetros entre as cidades de Carmo de Minas e São Lourenço. O percurso proporciona passeios em fazendas centenárias, com o deslumbrante cenário da Serra da Mantiqueira. A região, por sinal, é considerada um dos maiores polos mundiais de café, devido à qualidade dos produtos ali processados.

O estado abriga ainda a Rota do Café do Cerrado Mineiro, estruturada na cidade de Patrocínio e tida como a principal produtora do grão no Brasil, com cerca de 958 fabricantes.

Outro estado da região Sudeste do país que não fica para trás em termos de roteiros do tipo é São Paulo. A cerca de 150 quilômetros da capital paulistana, a Rota Turística do Café, em Serra Negra, oferece ao visitante um agradável clima de montanha, fontes de águas minerais e uma rica beleza natural. O caminho permite vivenciar o dia a dia das famílias campesinas que desenvolvem o plantio de café, além de acompanhar os processos de produção e transformação do grão.

As alternativas não se limitam ao Sudeste brasileiro. O Nordeste também conta com um roteiro turístico de café, mais precisamente no Ceará: a Rota Verde do Café. O percurso ocupa uma área a cerca de 100 quilômetros de Fortaleza, na região do Maciço de Baturité, maior Área de Preservação Ambiental do estado, com quase 33 mil hectares de Mata Atlântica.

Nesta experiência turística cearense com a iguaria, os visitantes são apresentados à história do café de sombra, cultivado na floresta em meio a ingazeiras, que fornecem nutrientes e luz na medida certa para a planta. Os turistas também conhecem os processos de seleção, pilagem, torra e moagem, responsáveis por tornar o café especial, único e saboroso. O cultivo do produto na região reflete a história de famílias cearenses, cujos legados de proteção ambiental, preservação cultural e desenvolvimento social permanecem.

DIA NACIONAL DO CAFÉ – A data foi instituída em 2005 pela Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) e representa o início da colheita no território nacional. Além de enaltecer a importância da bebida, a celebração foi criada para incentivar o consumo do grão. Por incrível que pareça, apesar de ser o maior produtor do mundo, o brasileiro não é o maior consumidor de café. Países como Finlândia e Suécia, lideram o ranking.

O café também possui um Dia Mundial, comemorado um mês antes, em 14 de abril.