Tocantins: Surpreenda-se com a Lagoa do Japonês  

0
678

Atrativo localizado em Pindorama, nas Serras Gerais, será um dos destaques da ABAV Expo 2022.

Seleucia Fontes

Ela estava ali o tempo todo, dentro da fazenda Sucuriú, do senhor Orlando Antonioli e desfrutada somente pelos moradores da região de Pindorama, pequeno município distante 245 km de Palmas. Para chegar até ela, os visitantes passavam pela casa de um senhor de origem oriental. “A lagoa fica depois da casa do japonês”, explicavam. Assim surgiu o nome Lagoa do Japonês.

Mas o destino turístico Lagoa do Japonês é recente. Há cerca de 5 anos, a partir de uma ação do Sebrae Tocantins pelos municípios da região das Serras Gerais, no sudeste do Estado, o local passou a ser administrado pelo filho de Orlando, Luiz, e sua esposa, Paula Antonioli. Após um processo de ordenamento, tornou-se um dos atrativos mais cobiçados e “instagramáveis” do Tocantins.

Do verde ao azul

Da portaria de acesso tem-se a visão de um lago de águas esverdeadas, cercadas pelo verde da vegetação local. À medida que vamos nos aproximando do deck principal percebemos um dos motivos do sucesso: as águas transparentes dão visibilidade às formações calcárias e aos minúsculos peixinhos. O primeiro contato com a água revela a deliciosa temperatura das águas tocantinenses.

Mas o verdadeiro impacto do encantamento não pode ser visto de imediato. É preciso nadar ou pegar uma canoa para chegar ao fundo do lago, que é engolido por uma delicada gruta formada pela ação das águas nas rochas. Para quem não teme morcegos, é possível se aventurar pelo local, mas só o banho refrescante pelas águas azul turquesa – sim, elas mudam de cor – já compensa o passeio.

Importante ressaltar que as rochas sedimentares carbonáticas da gruta também estão distribuídas por vários pontos da Lagoa, e por serem cortantes é recomendável o uso de sapatilha para mergulho, pesca ou similar.

Para quem ama fotos, é impossível resistir ao apelo dos registros únicos que um caiaque de acrílico para duas pessoas tem a oferecer. Sua transparência, que favorece a visão do fundo da lagoa faz você se sentir parte do ambiente.

Muito além da lagoa

Talvez o acesso por uma serra sinuosa tenha colaborado para a preservação de sua beleza. O trajeto total entre a cidade e a Lagoa soma cerca de 36 km e somente os mais arrojados encaram os últimos quilômetros em carro de passeio, sem tração. Com uma estrutura capaz de receber 800 pessoas ao longo do dia e 200 simultaneamente, o complexo conta ainda com bar e restaurante, redário, área de camping, tirolesa. Em breve, uma pousada será construída.

Rubilene Correia Alves, a Chef Rubi, filha da região, nascida nas redondezas da Lagoa do Japonês, conta que aprendeu a cozinhar aos 7 anos, com sua mãe. Assumiu recentemente o bar e restaurante, com o desafio de renovar o cardápio, os sabores e o atendimento, dentro da proposta de valorização dos pratos regionais. E para ajudar nessa empreitada conta com o apoio do Chef Pedro Sobrinho, com experiência internacional.

Desafio aceito, já está arrancando elogios dos visitantes, com sua Panelinha à Moda Rubi, a caranha frita, a farofa de banana e outras delícias que podem ser acompanhadas por drinks com e sem álcool.

Ao final do almoço, nada como um descanso na rede, um novo mergulho e a vontade de não ir embora deste paraíso, que hoje integra roteiros de viagem tanto para o Jalapão quanto para as Serras Gerais. Mas também vale muito uma visita somente à Lagoa do Japonês, para passar o dia ou pernoitar.

Serviço:

– Localização: 36 km de Pindorama; principais acessos ao município pela TO-030 e TO-130, passando por Ponte Alta, ou TO-050 e TO-262 (passando por Porto Nacional)

– Entrada: Day use, R$ 40/pessoa; camping, R$ 80/pessoa (crianças até 12 anos não pagam)

– Aluguel de equipamentos: sapatilhas, R$ 10 (mas convém levar as suas, compre em lojas de pescaria ou roupas esportivas); colete, R$ 10; bóia macarrão, R$ 2; Internet, R$10 (diária)

Passeios: canoa, R$10 (por pessoa) ou R$ 15, para maior permanência para fotos; caiaque transparente, R$ 50 (por pessoa); tirolesa, R$ 50 (por pessoa)

Bar e restaurante: 8 às 18h

*Alimentos e bebidas levados de fora são permitidos somente na área de camping

*É proibido som, animais de estimação, recipientes de vidro, acender fogo no chão

– Informações: WhatsApp (63) 99240-8085

Na entrada da gruta, o contraste entre a água azul turquesa e a rocha calcária/Emerson Silva

À primeira vista, um local bucólico e convidativo/Emerson Silva

A Panelinha à Moda Rubi é uma das novidades do restaurante/Emerson Silva

O redário convida ao descanso/Emerson Silva

Caiaque transparente, inspiração para fotografias/Penaforte Dias