5 parques naturais para visitar com as crianças nas férias escolares 

0
57
Foto: Renato_Guariba

A chegada das férias escolares é sinônimo de descanso e muita diversão para crianças. Já para a família, o desafio é criar um roteiro de atividade que tire os mais jovens de frente das telas. Nesse sentido, o contato com a natureza pode ser uma ótima alternativa. Além de possibilitar a diminuição do tempo em frente aos computadores, tablets, smartphones e afins, os passeios em parques trazem benefícios à saúde física, mental e emocional, permitindo que a criança melhore a imunidade, memória, sono, aprendizado, sociabilidade e capacidade física.

As constatações estão em uma pesquisa liderada pelo Instituto Alana, organização especializada no crescimento e desenvolvimento de crianças inseridas em contextos urbanos. O mesmo estudo revela ainda que o contato com a natureza pode reduzir significativamente os sintomas de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade), estresse e obesidade na infância.

No ano passado, o Instituto Semeia, organização sem fins lucrativos que atua para a valorização das unidades de conservação do país, lançou o guia “Parques tamanho família: Um novo olhar sobre a infância nas Unidades de Conservação do Brasil”. O material norteia gestores na construção de estruturas e promoção de atividades para melhorar a experiência e acessibilidade de crianças e jovens à essas áreas protegidas.

“Evidências apontam que, além de causar impactos positivos na saúde das crianças, o contato com a natureza na infância pode promover comportamentos mais conscientes e favoráveis à preservação do meio ambiente na vida adulta. Portanto, é fundamental mobilizar a nova geração para maior valorização e apoio à conservação da biodiversidade”, afirma Mariana Haddad, coordenadora de Conhecimento do Instituto Semeia.

Além disso, o isolamento social imposto pela pandemia fez crescer nas pessoas a percepção sobre a importância da vida ao ar livre e do contato diário com a natureza. E é certo que parques são parte da solução para a promoção de bem-estar e a recuperação do estresse pós-traumático que vivemos, coletivamente, com a Covid-19.

Confira cinco parques naturais para levar as crianças durante as próximas férias escolares:

1 – Floresta Nacional de Brasília, DF (Saiba mais aqui

Uma das principais áreas de proteção do Cerrado, a Floresta Nacional de Brasília possui 9 mil hectares povoados pela fauna e flora do bioma característico da região central do país. Criada em 1999, a unidade de conservação abriga a maior parte das nascentes que irrigam aproximadamente 70% da maior represa do Distrito Federal.

Por lá é possível acampar sob as estrelas, observar e interagir com a natureza e viver experiências inesquecíveis. Há trilhas curtas, como a Murundus, espaço para piquenique e banheiros disponíveis. Para garantir que a experiência seja a melhor possível para todos, a dica é reservar um período de descanso entre as atividades, respeitando o tempo e o interesse das crianças. Não se esqueça de consultar a previsão do clima antes de reservar a visita.

2 – Parque Estadual da Cantareira, SP (Saiba mais aqui

Moradores da capital paulista que não desejam percorrer grandes distâncias para usufruir do contato com a natureza podem recorrer ao Parque Estadual da Cantareira. Uma das maiores áreas de mata tropical nativa do mundo, o espaço abriga centenas de espécies ameaçadas de extinção, como a jaguatirica, o gavião-pomba e o gato-do-mato.

Refúgio natural para quem vive no maior centro urbano do Brasil, o parque reúne quatro principais núcleos (Pedra Grande, Engordador, Águas Claras e Cabuçu) e dispõe de atividades como observação de aves, passeio de bicicleta, banho de cachoeira e trilhas sinalizadas. A boa estrutura de visitação do local também inclui uma área social para alimentação. Leve sanduíches, frutas e barrinhas de cereal para compor o lanche da família.

3 – Parque Nacional de São Joaquim, SC (Saiba mais aqui

Em meio aos municípios de Urubici, Orleans e Grão-Pará, o Parque Nacional de São Joaquim se destaca como um dos atrativos mais populares da região serrana de Santa Catarina. Além de possuir dezenas de cascatas, paredes de pedra e mirantes por toda a extensão, o primeiro parque nacional do estado também abriga atrações emblemáticas como o Morro da Igreja e a Pedra Furada.

Devido à baixa temperatura média anual na localidade, a ocorrência de neve é muito frequente, especialmente nos meses de junho, julho e agosto. Nesta época, uma visita ao parque é sinônimo de oportunidade única: estar em um reduto de Mata Atlântica no auge do inverno e presenciar como a natureza se comporta sob essa condição climática.

Famílias com crianças pequenas podem se aventurar na Trilha da Cascatinha, caracterizada como uma caminhada leve pelas margens de um rio, com direito à observação de aves e contemplação de belas paisagens ao longo do percurso.

A prática de esportes de aventura também é possível, desde que todos estejam vestidos com roupas leves, que permitam a movimentação do corpo.

4 – Parque Nacional de Ubajara, CE (Saiba mais aqui

Repleto de belas trilhas e cachoeiras, o Parque Nacional de Ubajara, no Ceará, abriga também uma gruta que recebe o mesmo nome da unidade de conservação. Situada em uma depressão de 535 metros, a Gruta de Ubajara possui 1.200 metros de extensão, 75 metros de profundidade e está disponível para acesso.

O teleférico do parque encontra-se desativado para manutenção. Como alternativa, as famílias podem apreciar as paisagens naturais de Ubajara no Mirante Gameleira. Além da vista panorâmica, o ambiente oferece atividades como arvorismo e banho em olho d’água.

Outra opção para incluir no passeio ao ar livre é fazer uma das trilhas na companhia de um guia autorizado, com direito a roteiro histórico-cultural e visita às cachoeiras. Com aproximadamente 300 metros de extensão, a Trilha da Ibiapaba é um exemplo de trajeto leve, curto e acessível para crianças e adultos.

5 – Parque Nacional do Iguaçu, PR (Saiba mais aqui

O Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, abriga uma das maiores e mais impressionantes quedas d’águas do mundo, cuja extensão totaliza quase 2.700 metros. Essa unidade de proteção abriga algumas das espécies representativas da fauna e flora brasileiras que estão ameaçadas de extinção, como o papagaio de peito roxo, a onça-pintada, a ariranha e o tamanduá-bandeira.

Patrimônio Mundial Natural da Humanidade pela UNESCO desde 1986, o parque desperta em crianças e adultos o sentimento de valorização do patrimônio natural nacional e o desejo de preservá-lo. Experiências como a observação dos animais e tour guiado auxiliam no desenvolvimento integral de percepções e sentidos infantis, criando lembranças para toda a vida.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here