Turismo de acessibilidade é promovido em Cuba

0
400

Havana (Prensa Latina) O presidente da Rede Ibero-Americana de Turismo Acessível, Diego González, reconheceu que Cuba planeja sua indústria de viagens para facilitar a estadia de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

O também responsável pela Rede Espanhola de Turismo Acessível e assessor da empresa Enjoy Travel Group, disse à Prensa Latina que há seis anos a ilha facilita esses interesses.

Tais projetos são promovidos pelo Ministério do Turismo desta nação e organizações relacionadas, como a Associação Cubana de Limites Físicos-Motores, a Associação Nacional de Surdos de Cuba e a Associação Nacional de Cegos e Deficientes Visuais.

González viajou para a ilha como parte do primeiro voo inaugural -direto- da empresa Enjoy Travel Group desde Barcelona, ​​​​que chegou em 29 de junho e seus passageiros estão aqui por uma semana.

Este grupo inclui operadores turísticos, agentes de viagens e outros profissionais do setor europeu, e especialmente espanhol (link Barcelona-Havana). Em primeiro lugar, destacou a relevância desta nova rota aérea para a capital cubana, particularmente para este tipo de turista com deficiência ou mobilidade reduzida, já que é um segmento de mercado muito importante e que atualmente tem um enorme potencial.

Esta rota inaugurada facilita a muitas pessoas o acesso direto à ilha sem ter que parar em Madri, o que pode significar alguns contratempos devido a deslocamentos com cadeiras de rodas e outros elementos necessários para esses veraneantes (mudanças de avião e outras dificuldades).

No que diz respeito à importância do Turismo Acessível, este tipo de projeto cresce há seis anos neste país, quando surgiu por iniciativa do presidente da Enjoy Cuba, Jordi Paidet, recentemente falecido, que era um amante desta ilha.

Desde então, aliados se juntaram e o próprio ministro cubano do Turismo, Jorge Carlos García, tem dado todo o seu apoio ao seu desenvolvimento, comentou.

As autoridades da ilha explicaram oportunamente que, há muitos anos, as agências de viagens e receptivos consideram a possibilidade de facilitar esse tipo de estadia.

González está convencido de que este país pode se tornar um destino extremamente importante para essas viagens e, de fato, já se fazem estadias em lugares como Havana, Viñales e o balneário de Varadero (oeste).

No referido voo chegaram operadores turísticos da Holanda, Alemanha e Espanha interessados ​​em aproximar-se deste destino para promover umas férias de acessibilidade.

Ele comentou que muitas instalações em Cuba têm os requisitos máximos de acessibilidade internacional. Outros lugares em planos nesse sentido são Cienfuegos e Trinidad (centro).

Ele enfatizou que o objetivo do Enjoy é que todas as pessoas possam desfrutar de Cuba e de suas atrações. Ele exemplificou que em Varadero já existem 100 quartos com instalações para essas pessoas e seus acompanhantes.

A atual visita dos operadores turísticos especializados permitiu conhecer a oferta extra-hoteleira, visitar os Armazéns San José e Havana Velha, a comunidade Las Terrazas, e ainda fazer mergulho em Varadero, nadar com golfinhos e visitar vários hotéis e restaurantes para conhecer suas possibilidades. .

Destacou que a Enjoy continua apostando em Cuba, uma nação com grande potencial para este mercado. Entre as ações está também ampliar a abrangência neste arquipélago e atender ao Multidestino, com viagens que unem Havana a Cancún (México).