Japoneses preocupados com excesso de turismo em Fuji

0
14

Foto: Unsplash

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link https://valor.globo.com/mundo/noticia/2024/05/25/japao-bloqueia-vista-do-monte-fuji-para-conter-hordas-de-turistas.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Tóquio (Prensa Latina) A preocupação dos moradores e autoridades próximas ao Monte Fuji, no Japão, levou hoje à instalação de uma barreira metálica para impedir que os viajantes tirassem a famosa foto daquele local.

Fujikawaguchiko, a cidade japonesa que anunciou recentemente que iria bloquear um ponto específico com vista para o Monte Fuji, já instalou barreiras metálicas e uma cortina que impedirá os visitantes de tirarem a popular fotografia do vulcão devido ao afluxo excessivo de turistas.

O turismo de massa bloqueou a circulação tanto de pedestres quanto de veículos na rua onde fica o mirante com vista para a icônica montanha, em frente a uma loja de conveniência (ou konbini) da rede Lawson e em uma via estreita e incapaz de receber o trânsito .volume de visitantes.

Os turistas, que vêm a Fujikawaguchiko justamente pelas vistas do Monte Fuji, começaram a tirar fotos neste ponto específico depois que um influenciador estrangeiro fotografou a cena em 2020 e a imagem se tornou viral nas redes sociais.

Desde esta terça-feira, uma cortina preta de 2,5 metros de altura e 20 metros de largura cobre a vista de onde parece que a montanha mais emblemática do Japão se eleva sobre o konbini de Fujikawaguchiko, localidade situada na província de Yamanashi.

Além disso, seis barreiras de ferro com três metros de largura impedem que os viajantes acessem o local exato onde a popular fotografia pode ser tirada, atravessando a rua em um ponto onde não há passagem para pedestres – ato desaprovado socialmente no Japão.