Cai número de turistas no Egito

0
304

Volume em abril foi 22% menor do que no mesmo período do ano passado. No acumulado deste ano, queda é de 2,75%, de acordo com informações do Ministério do Turismo.

O número de turistas que visitou o Egito em abril caiu 22% em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com informações do Ministério do Turismo divulgadas nesta última sexta-feira (23) pelo jornal Al Ahram, 859,8 mil estrangeiros estiveram no país no mês passado. Em abril de 2013, foram 1,1 milhão.

Ainda de acordo com os dados do Ministério do Turismo, o número de noites gastas pelos visitantes também foi menor. No total, os estrangeiros passaram 7,6 milhões de noites no país do Norte da África em abril deste ano, contra 11 milhões de noites em abril de 2013.

A maior parte dos turistas que visitaram o Egito no mês passado eram europeus. No total, 681,6 mil pessoas do continente estiveram no país árabe, um volume 24% menor do que um ano antes. Entre os árabes, a queda foi de 34,3%: 100,4 mil visitantes dos países do Oriente Médio e do Norte da África viajaram ao Egito em abril.

No caso dos árabes, a exceção ocorreu entre os sauditas. O volume de turistas do país cresceu 17,4% e chegou a 19,8 mil. O volume de pessoas da Arábia Saudita deverá crescer nos próximos meses devido a abertura de um serviço de balsas que ligará, a partir de junho, Hurghada, no Egito, a Dhaba, na Arábia Saudita. A empresa aérea EgyptAir passou a voar, neste ano, entre as cidades de Hurghada e Jeddah, esta na Arábia Saudita.

No acumulado deste ano, a quantidade de turistas estrangeiros também caiu em comparação com os quatro primeiros meses de 2013. Segundo as informações do Ministério do Turismo, o país recebeu 2,8 milhões de visitantes entre janeiro e abril, quantidade 2,75% menor do que no mesmo período do ano passado.

As receitas obtidas com o Turismo representam aproximadamente 11% do Produto Interno Bruto (PIB) do Egito, de acordo com informações do governo egípcio. A quantidade de turistas tem caído, no entanto, devido à instabilidade política que afeta o país desde 2011.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here