Minsk: A capital e maior cidade de Belarús

0
2878

Nome oficial: Мінск, Минск

População: 1.836.808
Capital de: Belarus
Idioma: bielorrusso, russoO que é: Minsk é a capital e maior cidade de Belarus. De 1919 a 1991 foi a capital da República Socialista Soviética da Bielorrússia. É também a capital da CEI (Comunidade dos Estados Independentes). A cidade foi 80% destruída durante a Segunda Guerra Mundial e nos anos 1950 foi reconstruída de acordo com o gosto de Stalin. Grandes prédios em monobloco enormes soviéticos compõem muito do cenário da cidade. Por essa razão, Minsk é um lugar ótimo para aqueles interessados na União Soviética e que se interessam por vê-la praticamente viva. Inglês raramente é falado e o turismo não é prioridade alguma em Minsk. É aconselhável aprender algumas frases importantes em russo (que é a língua utilizada mais comumente, apesar de bielorrusso ser entendido e falado também).

Como chegar: O tamanho da bitola das ferrovias é diferente na Polônia e em Belarus, então prepare-se pra esperar bastante a readequação das mesmas caso vá de trem para Belarus. Entretanto, se você chegar a partir de Kiev ou Lviv (Ucrânia) e Moscou (Rússia), não precisará se preocupar com isso. E ainda como bônus, os preços em Belarus são muito mais baratos do que nos outros países da CEI. De ônibus, existem várias linhas que saem de Vilnius (Lituânia) para a estação de ônibus Avtovokzal Vostochniy em Minsk. A estação de ônibus não fica perto do centro, mas você pode tomar um táxi pelo equivalente a R$ 2,10. Entretanto, o ônibus é demorado e fica parado em torno de uma hora e meia na fronteira.

Voos internacionais chegam no Aeroporto Nacional de Minsk, a 37 km da cidade. O terminal é impressionante visto de fora, mas seu interior e infraestrutura são exemplos ideais do design pobre da União Soviética. Para o embarque, você precisa passar por um controle de segurança muito demorado antes de ser permitido o check-in. Chegar à cidade por transporte público é uma tarefa difícil. O aeroporto é servido por linhas de ônibus regulares que passam a cada 45-60 minutos dos terminais Moskovsky e Vostochny. O ponto de ônibus é tão escondido que a maioria dos passageiros nem sabe que ele existe. No saguão de chegadas, você não verá nenhuma indicação sobre onde pegar os ônibus.

As conexões aéreas em Minsk são escassas. A companhia aérea Belavia opera voos para Moscou (seis por dia), São Petersburgo e Kaliningrado (uma ou duas vezes por dia), e também para Tbilisi (Geórgia), Praga (República Tcheca), Kiev (Ucrânia) e Riga (Letônia). Também possui voos para os maiores aeroportos europeus, mas não são diários. Você pode voar para Minsk com a Aeroflot (de Moscou, duas vezes por dia), Lufthansa (de Frankfurt, uma ou duas vezes por dia), Austrian Airlines (de Viena), LOT (de Varsóvia), e Aerosvit (de Kiev).

Andando por lá: Ande usando ônibus, bonde, metrô ou alugue um carro. Os primeiros três são baratos e confiáveis. O metrô é conhecido por ser limpo e seguro. Adicionalmente, cada estação do metrô é decorada de forma única. Por exemplo, a estação na Praça de Outubro é decorada com temas da Revolução Comunista. A estação na Praça da Vitória é decorada com temas de vitória, e a estação Lenin inclui um busto de Lenin e altos-relevos com a foice e o martelo. Existem mapas panorâmicos do metrô em inglês à venda no centro de Minsk, em livrarias e quiosques. Os táxis também são baratos.

O que ver: A antiga casa de Lee Harvey Oswald (assassino de John F. Kennedy). Lee chegou na União Soviética em dezembro de 1959 querendo renunciar sua cidadania americana e foi enviado para Minsk. Ele mudou seu nome para Alek e se casou com uma mulher nativa, Marina Prusakova, com a qual teve uma filha. A família foi para os Estados Unidos em 1º de junho de 1962. Ele mataria o presidente em novembro do ano seguinte; A Igreja de Santa Maria Madalena foi construída em 1847 no estilo ortodoxo – com uma torre octogonal na entrada; a Igreja de São Pedro e São Paulo foi construída em 1613 e reformada em 1871, é a igreja mais antiga de Minsk. Vale a pena entrar; o Museu Nacional de História e Cultura de Belarus possui muitas coisas para serem vistas, mas infelizmente todas as explicações são em bielorrusso; o Palácio das Artes (Palats Mastatsva) possui várias mostras de arte moderna, livros usados e venda de antiguidades.

Museu de História da Grande Guerra Patriótica possui vários salões com exposições da Segunda Guerra Mundial, mas também sem nenhuma tradução; porém o mais impressionante talvez seja o Quartel-General da KGB, em uma das principais ruas comerciais de Minsk. É bem apropriado que em um país como Belarus a KGB ficasse localizada em um prédio-ícone no centro da capital. Você pode também contratar um guia privativo durante sua estadia em Minsk ou qualquer outra maior cidade de Belarus. Os guias particulares são autorizados pela Agência de Turismo Nacional – e você pode se certificar se o nome deles consta no site da Agência. Um guia licenciado de Belarus sempre usará uma identificação oficial.

Compras: Os produtos locais são geralmente de qualidade ruim, mas há algumas coisas que valem a pena serem compradas. Algumas roupas de lã e linho – você pode conseguir coisas muito boas por muito pouco dinheiro. Talvez a melhor vodka do mundo seja daqui, a Brest. Deixa no chinelo qualquer Absolut ou Smirnoff. Geralmente, o aeroporto de Minsk possui um free shop com uma boa variedade de perfumes, bebidas e souvenirs. Não vale a pena comprar marcas internacionais – custam entre 20% a 50% mais do que no resto da Europa.

O que comer: A culinária bielorrussa é similar à do resto da Europa, particularmente similar à russa e ucraniana. Geralmente possui pratos gordurosos com batata, cogumelos, sopas e carne assada. A qualidade da culinária ocidental europeia (italiana, francesa etc.) não é das melhores. O nível em geral dos cafés e restaurantes é baixo mas existem lugares aceitáveis no centro da cidade. A comida também é barata, assim como quase tudo no país.

Informações importantes sobre hospedagem: Lembre-se que todo estrangeiro visitando Belarus precisa se registrar no departamento de polícia local – Departamento de Cidadania e Migração, em até cinco dias úteis. Então isso quer dizer que, por exemplo, você pode chegar em Belarus numa terça e sair no domingo sem o carimbo de registro. A maioria dos hotéis faz esse registro automaticamente no check-in, mas muitas vezes, no caso de você estar alugando um apartamento por uns dias, eles são relutantes em prover o registro. Você pode receber uma ligação no meio da noite no seu hotel lhe oferecendo uma “massagem”. Recuse.

Segurança: Minsk é uma cidade bem segura, especialmente se comparada com as capitais dos países vizinhos, Moscou e Kiev. Ao contrário da maior parte das cidades do leste europeu, existem poucos sem-teto e bêbados andando pelas ruas. Se você precisar de qualquer assistência, a presença policial no centro da cidade é bem forte; entretanto, a limitação do idioma será um problema. Tenha cuidado ao fotografar prédios do governo e o monumento a Lenin na Praça da Independência. Você será observado e provavelmente mandado embora ao fotografar o monumento, mas tirar fotos dos prédios do governo pode levar a problemas com as autoridades e até mesmo prisão. Tenha cuidado com o que você fotografa.

Vídeo:
Filmagem em time lapse da cidade de Minsk.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here