Setor de viagens corporativas reage e mostra importância dos deslocamentos para as empresas

0
64

Leonardo Bastos*

Agências de viagens corporativas estão se recuperando gradualmente do pior período de pandemia. O setor manteve, em maio de 2022, uma recuperação que vem sendo mostrada desde o início do ano, e os números já vêm encostando no que era apresentado pré-pandemia, isto é, em 2019.

Os dados são da Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp).

A entidade aponta que o segmento faturou em maio de 2022 R$ 1,093 bilhão, apenas 2,4% abaixo do mesmo mês de 2019, quando atingiu R$ 1,120 bilhão. Sinal de que as empresas precisam, sim, de deslocamentos de seus colaboradores para que a produtividade de seus negócios evolua.

Em relação a abril de 2022, com quase R$ 875 milhões, houve um expressivo crescimento, de 25%. A Abracorp reúne grandes agências de viagens corporativas e analisa 11 setores do mercado.

SETOR PODE SUPERAR O PRÉ-PANDEMIA AINDA EM 2022

A Abracorp avalia que, caso o desempenho se mantenha em expansão nos próximos meses e no segundo semestre, período tradicionalmente melhor para o setor, as projeções indicam um crescimento de cerca de 20% no faturamento deste ano em comparação a 2019.

No entendimento da entidade, as projeções são otimistas para o faturamento do ano, puxado principalmente pelo aumento das passagens aéreas, que tem um peso de 65% no total, mas ainda espera uma recuperação no número de viagens, que continua 35% abaixo de 2019.

LOCAÇÃO DE VEÍCULOS É DESTAQUE

Em maio, o grande destaque dos dados da Abracorp foi o serviço de locação, que atingiu a marca de RS 33 milhões, ou seja, 3,4% do faturamento total do setor. Vale ressaltar que esse setor teve bom desempenho mesmo nos períodos do auge da pandemia, quando mais do que dobrou a representatividade no faturamento global.

Ainda conforme o levantamento da entidade, outros segmentos com alta em relação a 2019 foram cruzeiros, com faturamento de R$ 115 milhões, frente a R$ 81 milhões em maio/19; e Viagens Lazer, que faturou R$ 9 milhões, contra R$ 7 milhões maio/19.

*Leonardo Bastos é CEO da Kennedy Viagens Corporativa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here