Bomja: Novo destino turístico desponta na Baía de Todos os Santos

0
2546

Angelica Parras/Texto e fotos

No centro da Baía de Todos os Santos, em uma das três ilhas pertencentes a Salvador, capital da Bahia, um novo destino turístico está se formando e ofertas de serviços de qualidade atraem a cada dia mais turistas locais e estrangeiros . Investimentos em hospedagem, alimentação e outros serviços estão acontecendo e a pequena Ilha de Bom Jesus dos Passos, ou Bomja (é assim que as pessoas encontraram uma forma carinhosa de diminuir o longo nome do lugar) está se transformando em um pólo turístico  entre as vizinhas Frades, Maria Guarda, Bimbarras e Ilha das Vacas.

De local onde existia um ou dois restaurantes com portas abertas ao público, hoje são dezenas. De uma única pousada, aos poucos, novas opções de hospedagem aparecem. “A comunidade percebeu o vetor econômico baseado em serviços para o turismo e empreendeu”, analisou Deni Brito, uma espécie de promoter local.

As opções gastronômicas alcançaram fama com cozinha tradicional,  inventiva e cosmopolita. “Nosso borogodó e tempero chamam a atenção muito além das águas quentes e tranquilas da BTS”, brincou a chef de cozinha Vanessa Soares, um dos cases de sucesso

Chef Vanessa Soares

apresentados por Bomja. Premiada duas vezes pelo quadro Panela de Bairro da TV Bahia, reprodutora da Rede Globo, Vanessa tem em seu cardápio, no seu Restaurante DasÁguas (@dasaguasbj), na Marina do Brito, a mais fina cozinha baseada em peixes e frutos do mar. O carro chefe tinha que ser um prato que levou prêmio. Assim, a Caldeirada Nativa é a mais pedida.

Outra mulher que saiu do núcleo de negócios em Salvador e investiu na gastronomia foi Thaiane Argolo, que fincou em plena praça o Restaurante Casa de Vovó (@casavovo2). Serve refeições e café da manhã à quilo. Percebeu a oportunidade e está levando bem as ofertas de comidas afetivas e de raiz, a lá carte, como a feijoada de marisco, popular na região, mas pouco conhecida do público em geral.

hambúrguer Na Larica.jpg

Hambúrguer Artesanal do Na Larica Gourmet

massa frutos do mar chef Vanessa Soares.jpg

Massa com Frutos do Mar feita pela Chef Vanessa Soares

massa Na Larica.jpg

Macarrão com Filé e Molho Branco do Na Larica Gourmet

moqueca de siri do Restaurante Por do Sol.jpg

Moqueca de Siri do Restaurante Pôr do Sol

moquecapordosol.png

Moqueca de Camarão do Restaurante Pôr do Sol

pizza de frutos do mar chef Vanessa Soares.jpgPizza de Frutos do Mar do Restaurante Das Águas

caldeirada Nativa Chef Vaness.jpg

A premiada Caldeirada Nativa preparada da Chef Vanessa Soares

camarão pordosol.png

Camarão Ao Alho e Óleo do Restaurante Pôr do Sol

casquinhadesiripordosol.png

Casquinha de Siri do Restaurante Pôr do Sol

feijoada de Marisco Cadadevovo.jpg

Feijoada de Marisco da Casa de Vovó

feijoada de Marisco Casa deVovo.jpg

E aos incrédulos, a pequena ilha de pouco menos de cinco mil habitantes surpreende e oferece o que há de melhor e mais requintado. Rosa Amélia, representante comercial de vinhos e laticínios veio na maré trazida com o aumento do fluxo turístico e de consumidores locais. Montou um empório gourmet (@emporiodeliveryba), onde se encontra de tudo. Vinhos, carnes e queijos finos; geleias, sementes, grãos, petiscos…

Sem perder tempo, as irmãs Gal e Cássia Brito fizeram da casa da família um charmoso bistrô, ao lado da igreja.  Saíram na frente de todo mundo quando decidiram transformar o ponto de encontro dos amigos, em o Na Larica (@nalarica.gourmet). Hoje têm um dos locais mais cobiçados e disputados às sextas e sábados à noite. Quem chega tarde, tem que aguardar uma mesa desocupar. Só que raramente desocupa. O cardápio e bom atendimento provocam que a permanência seja estendida.

Entradas saborosas, hambúrgueres artesanais, massas bem servidas e recheadas, vinhos finos, bom papo e brisa amena e constante. O NaLarica é uma fórmula de sucesso.

E nesse resumo do que tem e acontece em Bomja, ainda surgiu no último verão de 2022 um restaurante que tem no nome e na paisagem um pôr-do-sol (@por_.dosol) deslumbrante, para emoldurar os pratos feitos pela divinal Celeste Farias Behrmann, guardiã da alquimia familiar, típica da culinária da Baía. Tudo é delicioso, mas o carro chefe da casa é o camarão, servido em porções fartas nas moquecas, saladas e tira gosto.

Os investimentos da prefeitura de Salvador e da Fundação Baía Viva, em infraestrutura voltadas ao turismo, incentivaram muitos empreendedores. Willian Lima (acaidonordeste) é um jovem visionário. De uma pequena casa de açaí, na Rua do Nordeste, foi para um dos quiosques do Porto do Bilito e diversificou. Serve açaí, drinks, petiscos e muita diversão. Em parceria com os companheiros da praça de alimentação promove festas e eventos de casa cheia.

E quem chega não passa fome. Tem de tudo e para todos os gostos. Massa, peixe, marisco, acarajé, abará, feijoada, sorvetes, escondidinho, arrumadinho, desarrumadinho. É só perguntar onde tem que a informação logo chega. As pessoas de Bomja adoram receber. Não tem essa de panelinha, não.

No caminho da praia da Pontinha, Joice e o marido (BBQBomja) fazem a diferença. Na charmosa casa de linhas coloniais cultivam um lindo jardim e recebem para servir deliciosos sanduíches de churrasco.

Onde ficar

Pousada DiLuis

As opções de hospedagem saltaram de uma única pousada para três novas estruturas.  Luis Antônio de Brito Correia, o DiLuis, foi o pioneiro. Sua Pousada DiLuiz (@pousadadiluis) existe há mais de 20 anos. Recentemente foi ampliada e continua como referência em hospedaria na pequena Bomja.

Pousada Casa do Tamarineiro

A pousada Bomja Village (@bomjavillage) investiu em estrutura de alto padrão.  Em seguida, a Casa do Tamarineiro (fotos acima) (@casadotamarineiro) emplacou o conceito de pousada pequena e descolada. DrCetelha (@dr.cetelha_turismo) abriu há menos tempo, na proposta de hostel.

Hostel DrCentelha

São quatro opções de hospedagem com diferentes estruturas, que atendem aos diversos públicos, com conforto e bons serviços.

Pousada Bomja Village

Como chegar

Apesar da pertencer a Salvador o acesso à Ilha de Bomja é via Madre de Deus (66 km), pelas BR-324 / BA-523  / BA-531.

De ônibus, partindo da Rodoviária de Salvador, a www.viacaojaua.com.br faz o percurso, com passagens a R$ 12,00

Do Terminal Hidroviário de Madre de Deus partem as lanchas, a cada 30 minutos, entre 6 e 20 h (segunda a sábado) 6 às 18 horas (domingo). O bilhete custa R$ 5,00+ R$ 1,30 de taxa de embarque.

Em Bomja não entra carro. Para se movimentar são usadas bicicletas ou caminhada. De veículo automotor apenas algumas motos de serviço.

O turista pode optar por desfrutar, durante os dias de permanência em Bomja, das lindas praias da Pontinha, do Nordeste ou da Igreja. Mas tem muito mais a ser visto nas ilhas vizinhas, como o Loreto, Paramana, Piscinas Naturais da Costa, Ponta de Nossa Senhora, Praia da Luiza, Caieira; todas na Ilha dos Frades. Ou nos recantos da Ilha das Vacas, Bimbarras, Pati e Maria Guarda. Para tanto, basta locar um dos inúmeros barcos que oferecem serviços de passeio.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here