Publicidade Aqui

St. Barth: uma das menores ilhas do caribe e das maiores em encantos

A ilha caribenha de St. Barth é conhecida por possuir uma reputação multifacetada e às vezes intrigante. Cada visitante e morador expõe diferentes lados da complexa personalidade da ilha.

Alguns a consideram um dos destinos mais chiques no hemisfério ocidental, com casas noturnas embaladas pelos mais famosos DJs do mundo e festas particulares que vão até o amanhecer em iates e em casas de campo. Os amantes de esportes vão dizer que St. Barth é um paraíso, com a brisa do vento perfeita para Wind e Kite Surfing, com trilhas para caminhadas, e personal trainers de vôo, instrutores de ioga e tênis e instrutores de surf. Enquanto outros dirão que é um lugar de descanso com praias calmas, boa comida e um ambiente extremamente seguro e ideal para férias em família.

Por mais improvável que possa parecer, St. Barth consegue agregar todas essas situações e ainda oferece a oportunidade de descobrir outras seguindo seu próprio ritmo.

Geografia e Clima

Com apenas 21 quilômetros quadrados de terra, St. Barth é uma das menores ilhas do caribe. Sua geografia montanhosa e íngreme difere do molde de tantas outras ilhas próximas que são adequadas para o cultivo de cana de açúcar.

Ao invés disso, St. Barth é abençoada com mais de uma dúzia de belíssimas praias de areia branca e água azul-turquesa cintilante que parece um sonho e nas encostas, casas deslumbrantes oferecem uma vista inacreditável do oceano cujas águas quente o ano todo variam entre 24 e 28° C. O clima, que varia entre 27 e 31º C, é agradável de sol abundante e brisa fresca vinda do mar.

História

Descoberta em 1493 por Cristóvão Colombo, a ilha foi reivindicada pela coroa espanhola e seu nome indígena de Oanalao foi alterado para St. Barthélemy em honra do irmão de Colombo.

Tomada por franceses e colonizada em meados do século 17, a ilha sofreu muitos anos de incerteza em tempos turbulentos de guerra, pirataria, e os conflitos com as tribos nativas.

Em 1785, os franceses cederam a ilha para a Suécia em troca de direitos comerciais em outros lugares. A coroa sueca teve um interesse no comércio e desenvolvimento interno e, com isso, a “Era Sueca” marcou um período de prosperidade e crescimento, cuja influência ainda é visível até hoje.

Pouco mais de um século depois, a ilha voltou para o governo Francês e permaneceu pouco conhecida por grande parte do século 20 até a compra de terras por parte da família Rockefeller e visitas de estrelas do cinema americano, gerando um burburinho de turistas e jetsetters. Hoje, a população de St. Barth é de cerca de 9000 pessoas. Todos gozam de um estatuto especial, como parte do “Outro lado da França”, dando uma grande autonomia sob a liderança do presidente da ilha, Bruno Magras, e seu Conselho Territorial de 19 membros.

Detalhes

St. Barth é talvez mais conhecida pela ostentação de riqueza e extravagância que acontece todos os anos entre as férias de Natal e Ano Novo. Iates de luxo de todo o mundo ancoram no porto de Gustavia, capital da ilha, enquanto os super-iates, muito grandes para o porto, ficam em amarrações próximo das praias de Public e Corossol. Nesta época do ano, helicópteros levam visitantes “pra cima e pra baixo” a palrtir de seus navios para a terra seca, e a vista noturna dessa marinha repleta dos mais impressionantes navios do mundo se assemelha à um skyline de uma cidade à beira da costa.

No entanto, mesmo nesse período excepcional, assim como em todo o ano, St. Barth tem muito a oferecer aos viajantes de todos os tipos. Os amantes da gastronomia vão encontrar uma gama divina, desde a genuína bouillabaisse francesa às massas italianas com trufas, além de frutos do mar, todos com uma qualidade que rivaliza com os grandes centros cosmopolitas. A ilha também é conhecida por trazer as últimas tendências de moda, boutiques de design, Sales e duty-free. Viajantes inclinados às atividades físicas vão encontrar quase todos os esportes muito bem representados. Tênis, ciclismo, corrida e futebol de curso são bastante popular, e instrutores e parceiros são fáceis de encontrar. Assim como academias bem equipadas podem ser encontrado em quase todos os hotéis e casas.

Apesar de pequena, St. Barth possui uma vida cultural e social extraordinariamente animada. Muitos dos turistas que conhecem a ilha, planejam suas férias para coincidir com seus evento favoritos como o Bucket Regatta corrida de iates, a música clássica ou festivais de jazz, o festival de cinema ou a festa de Carnaval. Com uma consultoria de um conhecedor da ilha, a viagem pode, ainda, coincidir com um dos “Saldões” de St. Barth, uma semana quando as melhores lojas de roupas oferecem excelentes descontos.

As acomodações mais procuradas na ilha são vilas privadas e hotéis boutique multi-estrelas à beira-mar. Ter sua própria casa, chamada de vila, é uma opção especialmente atraente para aqueles que buscam privacidade e sossego, e isso não significa sacrificar o bom serviço. WIMCO Villas, a maior agência da ilha, oferece os níveis de serviço sob medida com suas vilas, proporcionando praticamente qualquer coisa que um cliente deseja para personalizar a estadia. Entre alguns serviços e amenidades populares estão a contratação de chefs privados e personal trainners, sessões de massagem na vila, cruzeiros ao pôr do sol e motoristas. Para aqueles que preferem a experiência de hotel, a decisão mais difícil é que praia ou vista ter. Localizado na chique região da costa atlântica de Pointe Milou, o recentemente renovado Christopher Hotel recebe elogios por seu Spa e restaurante, bem como as suas fabulosas vistas do pôr do sol. O Le Sereno oferece a paz e reclusão de um local na lagoa azul em Grand Cul de Sac, enquanto o famoso Cheval Blanc Isle de France leva à desejável “Gold Coast” de St. Barth, a intocada praia de areia branca de Flamands. Também na praia Flamands está o cada vez mais popular Taiwana, um hotel exclusivo conhecido pela boa cozinha de seu restaurante e pelo seu design marcante.

A menos que seja de Iate, chegar a St. Barth é geralmente um processo de duas etapas, uma vez que o aeroporto da ilha é muito pequeno para jatos. Muitos dos viajantes fazem uma breve parada na vizinha ilha de St. Maarten, apesar de o melhor voo para St. Barth já estar disponível saindo de San Juan/Puerto Rico pela Tradewind Aviation que oferece um voo extremamente confortável e luxuoso. Se você não gosta de aviões de pequeno porte, barcos particulares podem fazer o trajeto St. Maarten à Gustavia em menos de uma hora. Lembre-se que a parada compensa o final. O fato de estar num pouco de mais difícil acesso, mantem o charme particular de St. Barth e sem muitos turistas.

Um carro é necessário para passear pela ilha, e as conceituadas agências de St. Barth oferecem tudo, desde um Gem elétrico de dois lugares até um Hummer. O francês é a língua oficial da ilha, mas o Inglês também é amplamente falado. A moeda oficial em St Barth é o Euro, embora muitas lojas também aceitem dólares. Alguns aspectos St. Barth será familiar para aqueles que conhecem outros destinos tropicais e é prudente se proteger de muito sol e de mosquitos. Outras características únicas de St. Barth surpreendem aqueles que pensam que todos os destinos do Caribe são iguais, entre eles, poder deixar seus pertences na praia sem medo enquanto vai para um mergulho. A ausência de crime é uma das qualidades mais raras e mais queridas de St. Barth

Comentários: